quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Contos de fadas podem ter origem na Pré-história, afirma pesquisa


Utilizando-se de técnicas típicas do campo das ciências biológicas, um grupo de acadêmicos investigou diferentes histórias do folclore europeu e descobriram ligações que podem ter suas raízes na pré-história! Alguns contos, conforme explicado, são mais antigos do que os primeiros registros escritos, remontando à Idade do Bronze que teve início por volta de 3000 a.C.


Durante muitos anos, acreditou-se que esses contos datassem dos séculos XVI e XVII. Contudo, os próprios irmãos Grimm, no século XIX, já acreditavam que muitos dos contos de fadas que eles ajudaram a difundir tivessem origens no arcabouço cultural que remonta ao surgimento das línguas indo-europeias.

Pesquisadores da literatura, posteriormente, mudaram essa visão, afirmando que tais histórias eram mais recentes, sendo difundidas oralmente após sua criação nos séculos XVI e XVII.

Formado em antropologia, Jamie Tehrani, da Universidade de Durham, que trabalhou com a folclorista Sara Graça da Silva, da Universidade Nova de Lisboa, disse que encontrou evidências de que os irmãos Grimm estavam certos quanto à idade dos contos.


"Algumas dessas histórias são muitos mais antigas do que os primeiros registros literários, e até mais do que a mitologia clássica – algumas versões dessas histórias aparecem em textos gregos e latinos, mas nossas descobertas sugerem que são bem mais antigas do que isso."

Seu estudo foi publicado na revista Royal Society Open Science, empregou a técnica de análise filogenética, desenvolvida pela biologia estudar relações entre espécies. Ademais, investigou a árvore linguística indo-europeia para encontrar a origem de contos compartilhados por culturas distintas, verificando por onde passaram até suas versões modernas.

De acordo com Tehrani, o conto de "João e o Pé de Feijão" (Jack and the Beanstalk) foi agrupado em um conjunto de estórias intitulado "O menino que roubou o tesouro do ogro", e teve suas raízes identificadas no período em que houve a divisão leste-oeste das línguas indo-europeias, isto é, há cerca de 5 mil anos.

O estudo também identificou as origens dos contos "A Bela e a Fera" e "O Anão Saltador" com aproximadamente 4 mil anos. Outro conto folclórico chamado "O Ferreiro e o Diabo" (The Smith and the Devil), sobre um ferreiro que após um pacto entrega a alma em troca de poderes sobrenaturais, foi datada em 6 mil anos.

"É notável que essas histórias tenham sobrevivido sem ter sido escritas. Elas têm sido contadas antes de o inglês, francês ou italiano existirem, e provavelmente eram narradas em uma língua indo-europeia extinta", disse Tehrani.

Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário