quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Uma breve introdução ao Mito do Arcanjo Miguel


Dentre os sete Arcanjos Celestiais, mensageiros de Deus, certamente Miguel é o mais conhecido e popular entre a religião judaico-cristã e, possivelmente, na islâmica. Além de ser o mais próximo de Deus, ele também é considerado o Senhor dos Anjos. Vigilante dos céus, ele sempre visita a Terra desde os primórdios de sua criação. Para certos estudiosos da bíblia e da tradição cristã, Miguel é apenas um anjo, que assim como todos os outros foram criados por Deus, mas a ele foi dada função de líder dos exércitos angelicais.

Nas escrituras bíblicas, Miguel, cujo nome quer dizer “Quem é como Deus?”, é apresentado como um “arcanjo”, o líder das armas celestiais contra Satanás e os demais demônios ou anjos caídos; “um dos primeiros príncipes” (Dn 10:13), “vosso príncipe” (Dn 10:21) e “o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo” (Dn 12:1). Em um exame mais firme ao contexto bíblico, percebe-se claramente que Miguel é apresentado como um ser Divino, cujas características referem-se ao messianismo do Antigo Testamento.

Miguel em Hebraico (Fonte: Wikipédia)
Em hebraico a tradução de Miguel é “aquele que se assemelha a deus” que a vezes é associado a pergunta retórica, já supracitada, “Quem é como Deus?”.

Em Judas 9 o arcanjo é descrito como aquele que enfrentou o diabo dizendo: “Senhor te repreenda!” e isto levou à identificação de Miguel como o “Anjo do Senhor”. Há, contudo, um fator que “contradiz” a posição angelical de Miguel, já que em Zacarias 3; Gênesis 22:11-18; Juízes 6:11-24; 13:2-22 e Atos 7:30-33 e 38, ele é emoldurado como sendo o próprio Deus.

Já em Apocalipse 12:7, Miguel e Satanás exibem-se como um antagonismo direto, dando origem a um conflito que surgiu no Céu e se prolongou durante toda a história da humanidade. O Novo Testamento explica que tal dicotomia entre Bem (Miguel) e Mal (Satanás) se identifica também na figura de Cristo e seus discípulos e Satanás e seus seguidores.

Em Daniel 10:13 e 21; 12:1, o Senhor dos Anjos recebe o título de “príncipe” ou “grande príncipe”, sendo  que no restante das escrituras sagradas tal intitulação só é usada para designar Jesus Cristo ou Satanás (com exceção dos príncipes humanos), mas nunca para outros seres angélicos. Segundo Josué 5:14 e 15, o Senhor apareceu para Josué como o “príncipe da hoste do Senhor”, acolhendo adorações, o que seria uma desonra se tal príncipe fosse um anjo qualquer, e posteriormente ordena que o mesmo retirasse as sandálias, pois o local em que pisava tornara-se santo. No mesmo livro de Daniel, Cristo também é denominado de “Príncipe dos Príncipes” e “Príncipe do exército do Senhor”.

É tido como um rápido atendedor de apelos humanos e isso o leva a uma grande aproximação com a cultura popular cristã. Possui um Templo dedicado a Miguel no Plano Etérico (mundo onde se acham os espíritos desencarnados, e que embora invisível e imperceptível aos sentidos e instrumentos científicos do Homem, é composto por planos físicos, moleculares e atômicos, com suas formas, suas relações e com uma população muitas vezes maior que a da Terra), que está localizado sobre as Montanhas do Canadá e por muito tempo ali esteve. No início tal templo era esculpido nas próprias rochas da montanha, para posteriormente ser construído no mesmo local só que no plano etérico.

O Templo de Miguel detém um formato circular e de proporções apreciáveis, tem quatro entradas que correspondem aos quatro pontos cardeais. Este Santuário foi construído por um material de cor dourada, possuindo as mais diversas pedras preciosas incrustadas em suas paredes, destacando-se as safiras azuis. Sobre a cúpula existe uma estátua do Arcanjo.

A imagem de representação do Arcanjo Miguel é semelhante à de um guerreiro da antiguidade trajando armaduras e apontando uma espada para o demônio que se encontra entre seus pés (prevalência do bem perante o mal), enquanto na mão esquerda há uma balança que certamente simboliza a justiça praticada pelo Príncipe dos Anjos.

É muito adorado nas culturas Cristã, Judaica e Islâmica. Nas igrejas católica, anglicana e luterana é chamado de São Miguel Arcanjo ou somente São Miguel. Já os ortodoxos como Arcanjo Miguel.

Miguel lutando contra o mal (Satanás) representado como Dragão
Os santuários em homenagem a Miguel surgem pela primeira vez no século IV, quando ele passou a ser intuído como anjo da cura e, posteriormente, como líder do exército divino na batalha contras as forças do mal. Já no século VI, o número de devotos ao Anjo era surpreendentemente grande e se espalhavam tanto no mundo ocidental quanto oriental. No entanto, o tempo fez com que as doutrinas religiosas começassem a diferenciar sua posição perante a crença em Miguel.

Nos Apócrifos, aparece no livro de Enoque, onde é alcunhado como o príncipe de Israel. No livro dos Jubileus, ele é apontado como o anjo que instruiu Moisés na Torá. E Manuscritos do Mar Morto é retratado lutando contra Beliel.

Muitíssimas outras informações poderiam ser apresentadas aqui, haja vista a diferença de abordagem do assunto entre as grandes religiões monoteístas da atualidade. Contudo, isto será tema para possíveis e futuras postagens, sendo mais viável no momento esta pequena introdução. No mais espero que gostem e para mais informações acessem as referências bibliográficas.


Bibliografia:

QUEM É O ARCANJO MIGUEL? UMA EXEGESE DE JUDAS 9 - ALEX OLIVEIRA PALMEIRA - Bacharel em Teologia pelo Unasp, Campus Engenheiro Coelho, SP - 2005

3 comentários:

  1. É de se espantar o fato de que Alex Oliveira Palmeira é formado em Teologia pela Universidade Adventista do estado de São Paulo, e que a Exegese feita por ele aponte todas as características que definem Miguel como sendo Jesus, e ele, Alex, não conclui a análise afirmando isto. Pior, sita livros apócrifos, que de longe não são aceitos como referência, pois tem profetas que introduzem bruxaria e espiritismo no canon bíblico, e ainda cita a tradição católica e Islâmica, que não tem nada a ver com o que a bíblia, referência primordial de um teólogo formado em uma universidade Adventista, defende.

    ResponderExcluir
  2. cita com "s" essa sim é de se espantar!

    ResponderExcluir
  3. Certeza que o senhor Lucas Câmara é um fanático religioso.

    Meu amigo, o artigo diz em relação ao Anjo Gabriel, ou seja, onde o mesmo aparece nas religiões existentes.

    Quer dizer então que determinadas religiões por que não seguem o que o senhor tem como verdade, são do demonio, de bruxaria, do Capeta?

    Vá se informar mais um pouco, ai quem sabe "A LUZ LHE SERA REVELADA">

    Abraços a todos, e excelente site, parabens.


    Carlos Augusto .'.

    ResponderExcluir