quarta-feira, 13 de maio de 2015

Quem são os Anões?

Dwarf por Samarskiy
Falar de Fantasia Medieval sem mencionar os fabulosos anões, certamente, é negligenciar um dos maiores ícones deste grandioso gênero literário. Famosos por seu tamanho diminuto, corpos atarracados e musculosos, além das longas e espessas barbas, os anões (ou Dwarves, singular Dwarf) aparecem copiosamente nas mitologias Nórdica e Celta, além dos célebres jogos de RPG. São basicamente humanoides de pequeno porte, que segundo as lendas, são mestres na arte de minerar e nas atividades metalúrgicas. Possuem o dom de fabricar objetos mágicos, armas poderosas e belíssimas joias.

Sabe-se que os equipamentos e as vestimentas dos anões são geralmente forjados ou decorados por formas geométricas impecáveis. Em seus escudos, costumeiramente empregam adornos feitos com gemas e cristais encontradas na natureza. Tradicionalmente, entalham faces de ancestrais renomados em seus escudos, uma prática pouco comum entre as demais raças.

Dwarf lord por DavidGaillet
Uma das características que mais intrigante nesta raça é a grande discrepância numérica entre os homens e as mulheres, sendo que estas nascem em uma taxa de 1/3 quando comparadas aos homens, isto é, a cada três nascidos, somente uma criança será mulher. Deste modo, ao contrário dos humanos, a maioria dos anões preferem manter uma vida solitária e sem romances, dando uma maior dedicação às suas profissões e aos seus cargos, como artesãos, mineradores e ferreiros (mesmo porque não há mulheres suficiente para todos). Já os que se casam são demasiadamente ciumentos e possessivos, e acabam por dedicar suas vidas à esposa e aos cuidados com a família.

Em questões de envelhecimento, são semelhantes aos humanos na idade de maturidade, sendo atingida a vida adulta por volta dos vinte anos, entretanto envelhecem de maneira mais lenta e chegam a idades além da capacidade humana. Sendo assim, é comum ver anões com idades acima de 150 anos e com excelente saúde.

Anão aventureiro (por: JonHodgson)
Apesar de não serem considerados atraentes e muito menos adotem as mesmas perspectivas estéticas dos humanos ou dos elfos, eles mantém uma única vaidade que em geral atinge todos os anões: conservar a barba longa e espessa (uma semelhança óbvia com os guerreiros nórdicos, já que são oriundos dessa mitologia). Por tradição, a raça acredita que a barba seja um  importante elemento para se ganhar respeito e admiração.

Os anões são famosos no que se refere à dedicação e foco nos seus objetivos. Geralmente se organizam em comunidades e pouquíssimos deles adquirem amizades ou laços afetivos com criaturas de outras raças. Quando realizam tais laços com outras raças, geralmente, vêm acompanhados de algo com maior importância, por uma motivação que estará acima das suas próprias, por interesse próprio ou por ordem de algum superior. (Exemplo dos anões de "O Hobbit" que ficam desconfiados de Bilbo, o único hobbit do grupo, mas que precisam dele para resgatar o tesouro protegido pelo dragão, Smaug).

Anões do filme "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada"
Embora desconfiados e raramente façam amizades, os anões são extremamente leais. Os poucos amigos que fazem são para toda vida e podem contar com os mesmos em todos os tipos de situações. Também por esse fato que preferem seguir solteiros por toda vida, haja vista que grande parte dos heróis e lendas dentre eles decorra de indivíduos solteiros, já que a vida de casado representa unicamente dedicação à família e o fim das aventuras (Obviamente existem exceções).

É importante lembrar que não são comuns anões Magos. Uma desconhecida resistência natural impede que os anões desenvolvam habilidades mágicas, pois sua essência vital restringe a realização de efeitos místicos. É como se possuíssem uma energia astral tão intensa que é capaz de dissipar a energia do efeito mágico que o Mago libera, reduzindo sua potência e eficácia (às vezes até anulando-o por completo). Tal fenômeno leva os anões a não serem muito habilidosos com magias, sendo raríssimos exemplos de anões feiticeiros ou com qualquer habilidade de conjurar magia.

Anão com cajado por AlexandrescuPaul

Quanto aos cadáveres dos anões, por algum motivo que nunca se soube explicar ou pelo menos explanar, são imunes aos feitiços de animar mortos-vivos. Da mesma maneira que o seu próprio corpo físico é fonte de mistérios, levando a crer que talvez atue como um verdadeiro campo de força contra energia mágica. Se você é um mago, sem habilidades em luta corporal e deparou-se com um anão... só temos um conselho... FUJA!

Os anões são, em geral, vingativos e costumam guardar mágoas e insultos por vários e vários anos - quiçá por toda vida - podendo aproveitar situações impróprias para "lavar roupa suja", trocar insultos e jogar na cara questões que há muito tempo deixaram de ser relevantes. Outro fato importante é jamais insultar ou falar mal das barbas de um anão.

Dwarf por Evren Ince

Contudo, os anões possuem um senso de humor um tanto peculiar. Sempre que um anão salva uma criatura de outra raça de alguma situação perigosa, sempre haverá um discurso de que ninguém mais seria capaz de salvá-la a não ser ele, ou que tudo aquilo não foi nada de mais, ou ainda que o problema que a criatura enfrentava era algo extremamente simples ou idiota (por mais horrível que seja a situação, ele sempre dirá que era "uma coisinha de nada"). Mesmo que a missão do anão envolva assuntos simples como entregar mensagens ou matar pequenos goblins, o pequeno barbado sempre falará sobre o feito de forma eventual, como se não fosse algo simples e banal. Mas caso seja uma tarefa complexa ou difícil como matar um dragão ou destruir uma tribo inteira de trolls, ele irá diminuir as dificuldades que teve para realizá-la sem perder a grandiosidade do feito, de modo a garantir uma história épica, em que ele seja o grande herói.

Quando um anão vem a falecer, é uma verdadeira desonra deixá-lo sem um funeral descente ou no mínimo sem um enterro. As comunidades anãs enterram seus mortos em grandes mausoléus de pedra, após uma cerimônia de cremação, simbolicamente devolvendo-o à forja de Moradin (Grande Deus anão forjador de suas Almas e O Pai dos todos os Anões no mundo de Forgotten Realms - D&D) e à terra, enquanto a sua alma é libertada para ir para os planos exteriores. Os mausoléus são, em sua maioria, construídos pelos familiares do anão morto.

Dwarf por Broken Machine 
São extremamente ligados à ancestralidade, realizando cerimônias/rituais e diversos tipos de homenagem aos seus ancestrais, principalmente quando este foi algum guerreiro de honra, um rei ou um pessoa de grande importância. Veneram ferozmente seus líderes e a cultura do clã de origem, repeitando seus anciãos e heróis, mesmo estes estando mortos há séculos. Jamais se esquecem daqueles que tiveram participações importantes em suas vidas, ou na história de sua família.

Mais que qualquer outra raça, buscam muito seus deuses pedindo-os força e coragem para enfrentar seus desafios, pois como foi supracitado sua busca por honra os impedem de fujir de qualquer tarefa. Possuem excelente memória e jamais esquecem seus inimigos. Outros preferem adorar pessoas importantes no lugar dos deuses. Alguns desacreditam em qualquer existência divina, além do mundo em que vivem.

Dwarf por Kikicianjur
Os anões são muita das vezes conhecidos por lutar ao lado de seus melhores amigos, sendo comum em histórias a menção de guerreiros anões que deram sua vida para salvar seus amigos. Odeiam profundamente os orcs, sendo comum grandes batalhas entre essas duas raças.

O mais interessante dos anões é a grande semelhança que estes apresentam, com os povos escandinavos, mencionados em diversas crônicas medievais. Durante o período das invasões vikings, era comum ouvir falar de um povo feroz em campo de batalha, cruel e sanguinário. Talvez isso não se assemelhe muito com a visão do anão, porém algumas características são verdadeiramente idênticas. O grande exemplo que supracitamos é o cultivo da grande barba, símbolo de respeito e admiração. Outra característica muito semelhante é o isolamento afetivo dos anões, que assim como os Escandinavos, não eram grandes amigos de outros povos, só relacionando-se com os demais para fins mercantis. Obviamente, isso já era de se esperar, haja vista a origem dos anões estar intimamente ligada aos mitos nórdicos e serem muito comuns em contos e crônicas escandinavas.

Por fim uma lista com nomes masculinos típicos de anões:

Adrik, Baern, Berend, Darrak, Eberk, Fargrim, Gardain, Harbek, Kildrak, Morgran, Orsik, Rangrim, Thoradin, Thorfin, Tordek, Travok,Vondal.

Gimli, o anão de "O Senhor dos Anéis" por Vela-S

Autor/Edição: Áviner Reis, Taberna Do Fauno

Bibliografia:
Dungeons & Dragons - Raça de Personagens - Capítulo 3
TOLKIEN, J.R.R. The Hobbit. 6.ed. Martins Fontes.

Imagens:
 

3 comentários:

  1. Vale ressaltar a importância dos anões de Arda criados por Aulë nas obras de Tolkien.
    ancestrais de Torin II escudo de carvalho.
    uma bela historia que você pode encontrar em O Silmarillion e nos Contos Inacabados.
    Recomendo a leitura a todos os admiradores dos Khazad.

    ResponderExcluir