segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

10 Grandes Games de Fantasia Medieval


Não há o que discutir quando se fala que a temática de Fantasia Medieval é uma das mais queridas entre os gamers, em especial, para os apreciadores do estilo RPG. Quando mencionamos tal temática, imediatamente nos vêm à cabeça games como The Elder Scrolls, Diablo e Zelda, que obviamente são os que mais marcaram nossas infâncias ou adolescências. Por conta disso, resolvi escrever uma lista com os 10 games que considero os maiores nesse quesito. Portanto, deixo claro que é uma lista pessoal, baseada essencialmente na minha experiência como gamer. Sendo assim, espero que gostem e caso não concordem, camaradas, deixem nos comentários quais seriam seu top 10 games de Fantasia Medieval.

Vale lembrar que nessa lista descartei games baseados em livros ou obras literárias predecessoras como "O Senhor dos Anéis", além dos MMORPG.


10 - The Bard's Tale:
The Bard’s Tale é um jogo de ação com temática medieval que também apresenta elementos de RPG, como evolução de habilidades, monstros fantásticos e mais. Lançado há quase uma década para PC e PS2, ele agora possui uma nova versão para dispositivos iOS e Android.

Sem um nome definido, o personagem principal é um bardo que pouco se importa em salvar o mundo, ele quer apenas registrar suas aventuras e cantarolar suas canções e melodias por aí. Contudo, acaba se envolvendo em uma aventura, uma missão de resgate, onde deve salvar uma princesa. Contrariando suas vontades, o “herói” entra de cabeça na missão e o jogador deve levá-lo ao longo de muitos cenários de fantasia medieval, com gráficos 3D que mostram todos os ambientes em detalhes e os personagens bem animados.

O sistema de jogo lembra outros do mesmo tipo, como as versões para PS2 de Baldur’s Gate, ou aventuras “rogue like”, como a série Diablo. O bardo pode utilizar uma série de habilidades, como armas próprias e magias, apesar de não ser um combatente por natureza. The Bard’s Tale é indicado para aqueles que gostam de uma aventura medieval recheada de humor, apesar de não parecer, e que só se leva a sério em alguns poucos momentos.

Vale registrar ainda que este game não tem relação com o jogo de mesmo nome, lançado em 1985. Este, na verdade, é focado nas aventuras do “bardo”, identificado apenas assim durante a aventura, sem um nome próprio, mas com muito carisma e presença. Faça agora o download de The Bard's Tale e ajude o bardo a salvar a princesa em uma aventura cheia de ação e diversão!


9 - Neverwinter Nights:
Situada na costa norte de Faerûn, continente do mundo fictício de Toril, a cidade de Neverwinter foi atingida por uma praga devastadora. Mesmo com o esforço de todos os clérigos locais utilizando poder divino, a doença é incurável.


Conhecida como a Morte Uivante, a praga apareceu na região mais pobre da cidade e alastrou-se com facilidade para todos os outros bairros, apesar do estado de emergência e dos bloqueios para tentar impedir a sua propagação. Lady Aribeth de Tylmarande, uma renomada paladina à serviço do deus Tyr fez um chamado por heróis para descobrir uma cura e encontrar o responsável por essa praga que determinaram ser de origem sobrenatural.

Vários aventureiros responderam o chamado, e destes os mais promissores foram convidados a se juntar à academia de Neverwinter, para serem treinados e receberem ordens pessoalmente de Aribeth. Uma das esperanças da paladina está na criação de uma poção com ingredientes de criaturas raras, reunidas com muito esforço em segredo por agentes de Aribeth, para evitar rumores e ações de desespero dos cidadãos que acreditam que uma cura já foi desenvolvida.

A academia acaba sendo invadida por agentes desconhecidos e bem organizados, durante o combate o único objetivo aparente do grupo é de encontrar e matar as criaturas, que acabam fugindo. Com a maioria dos estudantes e professores mortos, resta ao personagem investigar o paradeiro das criaturas, seguindo pistas dos habitantes e guardas da região.

Enquanto isso, Lord Nasher, o governante da cidade discute com Aribeth e outros heróis sobre a identidade do mandante do ataque, na lista um dos maiores suspeitos são os governadores da cidade de Luskan, eterna rival de Neverwinter e que recentemente fechou seus portões a todos os estrangeiros.


8 - Dragon Age:
A Bioware descreve a história de Dragon Age como sendo uma "fantasia heroica sombria" que é contada em uma escala épica com temas adultos. O enredo do jogo decorre no universo de Thedas, um universo abandonado pelo seu deus como castigo pelos pecados dos seus habitantes. O jogador é nativo de Ferelden, um país do universo de Thedas. O jogo abre com um filme que explica o surgimento dos Darkspawn, criaturas que habitam o subterrâneo de Thedas. De algumas centenas em centenas de anos, estas criaturas empreendem um grande ataque contra os habitantes da superfície, liderados por um lorde antigo, corrompido pelos Darkspawn. A partir do primeiro destes ataques, chamados de Blights, surgiu uma ordem lendária de guerreiros e magos, chamados de Grey Wardens.

O jogador começa sua jornada em uma das seis "histórias de origens" que servem como uma introdução e explicação da origem do personagem principal e do seu estatuto social. A história de origem escolhida determina quem o jogador será e como as pessoas reagirão a ele. O jogador pode escolher entre Humano Nobre, Elfo Citadino, Elfo de Dale, Anão Comum, Anão Nobre e Mago. O enredo de Dragon Age pode variar dramaticamente de jogador para jogador, devido as escolhas que podem ser feitas em relação à moralidade e à história de origem. Independentemente da escolha da origem, o jogador acaba por se juntar a uma ordem de guerreiros empenhada em combater os Darkspawn.


7 - Dragon's Dogma:
Dragon’s Dogma é um título produzido pela Capcom, que coloca o jogador na pele de um guerreiro, e que é acompanhado por outros dois personagens controlados pelo computador. O título promete oferece um mundo vasto e aberto para ser explorado, e conta com grandes nomes da indústria em sua produção, como Hiroyuki Kobayashi, responsável pelo Resident Evil 4 e Devil May Cry 4, e Hideaki Itsuno, diretor dos três últimos títulos da série Devil May Cry.


6 - Série The Elder Scrolls:
The Elder Scrolls é uma série de jogos RPG desenvolvida pela Bethesda Softworks. É abreviada frequentemente por TES. Os cinco principais jogos da série The Elder Scrolls, Arena, Daggerfall, Morrowind, Oblivion e Skyrim são conhecidos pela sua jogabilidade muito versátil, tendo o jogador liberdade total de fazer o que quer com a sua personagem no jogo, com um fim aberto.
The Elder Scrolls: Arena (1994)
The Elder Scrolls II: Daggerfall (1996)
The Elder Scrolls III: Morrowind (2002)
Duas expansões para Morrowind: Tribunal (2002) e Bloodmoon (2003).
The Elder Scrolls IV: Oblivion (2006)
The Elder Scrolls V: Skyrim (11/11/2011)
The Elder Scrolls Online (04/04/2014 para PC e 09/06/2015 para PS4 e Xbox One)


5 - Warcraft:
Antes de mudar o nome para Blizzard, esta gigante dos videogames já produzia títulos com temáticas medievais, adaptando O Senhor dos Anéis, de Tolkien, para computadores Amiga, animando partidas de xadrez na versão para Commodore 64, de Battle Chess, e colocando nórdicos caricatos em enrascadas siderais em The Lost Vikings. Porém, foi o primeiro Warcraft, Orcs & Humans, que colocou a empresa no rumo em que ela está até hoje: a produção de games complexos, sólidos e viciantes.

Warcraft seguiu a fórmula de outros games de estratégia já existentes no mercado (como o popular Dune, lançado em 1992), mas a Blizzard soube caprichar no visual e trabalhar um enredo simples, porém cativante, para que a franquia se destacasse diante da concorrência. Em 1995, os conceitos apresentados no debut da franquia foram aprimorados com As Marés da Escuridão, que deu continuidade ao feudo sangrento entre orcs e humanos.

Contudo, foi em 2002, com o lançamento de Warcraft III, que o game deixou de ser um “jogo de damas virtual” para se tornar um fenômeno cultural: as diferenças entre as raças deixaram de ser meramente estéticas (uma herança de outra franquia da empresa, Starcraft), e as nações do jogo passaram a ter suas motivações apresentadas de forma mais convincente. Os personagens especiais, os heróis, também ganharam maior profundidade e a experiência se tornou tão imersiva a ponto da série deixar de lado a estratégia em tempo real para se tornar hoje o exemplo mais bem sucedido de RPG online multiplayer da história.


4 - Zelda:
Como a maioria das séries da Nintendo, The Legend of Zelda dispensa apresentações. A saga do herói de túnica verde foi contada em vários games através de praticamente todas as plataformas da empresa (o Virtual Boy ficou sem), sempre mantendo o alto padrão de qualidade estabelecido pelo seu criador, Shigeru Miyamoto.

O trunfo de Zelda é a independência entre seus títulos, o que permite mostrar vários momentos do reino de Hyrule, sem que os fatos entrem em contradição com os games anteriores. Recentemente, para ordenar esta colcha de retalhos, a Nintendo divulgou uma linha do tempo oficial, apresentando três cronologias distintas da franquia. Não que o fã de Zelda esteja muito preocupado com isso, com o tempo, aprendemos a apreciar as aventuras do herói Link como obras de arte independentes, com destaque para o eterno Ocarina of Time e para o recente Skywar Sword, que se tornou um clássico instantâneo no Nintendo Wii.


3 - Diablo:
Diablo (Blizzard; PC, Mac e Playstation; 1996).
Quando o lorde demoníaco Diablo tomou posse do corpo de um jovem príncipe, a cidade de Tristram se viu ameaçada por um mal sem precedentes. Sem exército ou qualquer tipo de defesa contra as entidades das trevas, a população seria presa fácil para saciar a apetite por poder da criatura. Entretanto, três heróis surgiram para banir o terrível vilão.

Felizmente, para nós, jogadores, eles não foram tão bem sucedidos, já que no ano 2000 pudemos ver a destruidora continuação do game, Diablo II, que refinou e ampliou tudo que havia sido apresentado no primeiro game. Desta vez, havia mais classes de personagens, melhor customização, mais dungeons para explorar e ainda mais itens mágicos para serem encontrados. Os games fizeram um sucesso sem precedentes, causando um revival dos RPGs nos computadores graças a sua jogabilidade minimalista (apontar e clicar, pura e simplesmente), possibilidades de customização dos personagens e jogatina online, seja cooperativamente ou competindo com outros jogadores.

Diablo II continua um game atual até hoje, 12 anos depois do seu lançamento – algo merecido para um título tão viciante. Resta torcer pelo aguardado lançamento do terceiro game, Diablo III, lançado para as duas últimas gerações de consoles.


2 - Dark Souls:
O universo sombrio de Dark Souls é sem dúvida um dos mundos de fantasia mais hostis já vistos no videogame. Aqui, a morte do protagonista não é consequência de uma jogada ruim – é algo praticamente inevitável ao longo da jornada cruel pelas terras de Lordran. Para completar, o game dá pouquíssima informação sobre o que de fato está acontecendo, deixando o jogador sempre no escuro, sem saber se está tomando as decisões certas ou mesmo seguindo pelo caminho correto.

Explorar cada área de Dark Souls é flertar com o desconhecido e sobreviver aos desafios. Os jogadores que não se deixam abater pela frustração inicial de falhar indefinidamente e arcar com as pesadas punições do game – como a perda da humanidade – se sentirão satisfeitos como nunca após superar os desafios espartanos deste ótimo RPG de mundo aberto.


1 - Golden Axe:
Na época do lançamento, Golden Axe trouxe para o 16-btis da Sega o gênero “espada e magia”. Três guerreiros – um bárbaro bombado, uma amazona de biquíni e um anão com um machado bem grande – enfrentavam feiticeiros malignos, mortos-vivos e criaturas fantásticas em vários cenários medievais. O jogador abria caminho até o tirano Death Adder, que cobiçava o machado dourado do título do game.

Para saber mais sobre o primeiríssimo game do Top 10, acesse o artigo especial sobre o clássico Golden Axe, clicando aqui!

Fonte das Descrições: http://www.techtudo.com.br/

2 comentários:

  1. Diablo com certeza eh um dos melhores!!!! Vimos o lançamento do Diabo III com estrondoso sucesso!!!
    Completamente viciante!
    Faltou aí Chrono Trigger.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela escolha do primeiro colocado! Não poderia ter sido mais coerente.!!!!

    ResponderExcluir