segunda-feira, 10 de novembro de 2014

O que são Goblins?


Caminhar por trilhas em florestas ou em regiões montanhosas pode ser relaxante e prazeroso, não é mesmo? Bem, até poderia ser, caso você não se depare com um bando de goblins malditos! Certamente, todos os apreciadores de Fantasia Medieval já devem ter ouvido falar nesses diabinhos verdes que azucrinam os viajantes, seja nos videogames, RPGs de mesa, livros ou filmes do gênero fantástico. Por conta disso, resolvi fazer um apanhado geral das principais informações sobre esses pequenos personagens que contribuem para que nossas aventuras imaginárias sejam ainda mais fascinantes!

1 - Características Principais:
Os Goblins são uma raça de pequenos humanoides com, em média, 1 metro de altura, variando alguns poucos centímetros a menos ou a mais. Pesam entre 22 e 25 kg, sendo bem semelhantes a duendes e gnomos no referente à estatura. Quanto à aparência, assemelham-se aos Orcs e Trolls; possuindo pele de cor variando do verde musgo ao marrom terra, aparentando sujeira (mesmo que não estejam sujos). Seus olhos são marcados por uma coloração forte, variando entre as tonalidades de amarelo, laranja e vermelho, possuindo ao mesmo tempo um brilho vítreo e sombrio.

Geralmente vivem em locais sombrios e úmidos, de preferência cavernas e túneis no subsolo, sendo muito bons em enxergar no escuro. Assim, como os Trolls, possuem grande sensibilidade à luz solar, ficando tontos e ainda mais frágeis quando expostos à insolação por mais de quatro horas. Outra característica importante é o formato de suas orelhas, que são compridas e pontudas, como folhas de árvores.

Em geral, suas vestimentas são rústicas e feitas de couro escuro, de preferência marrom, e raramente apresentam peças de metal, a não ser para a confecção de suas armas e joias. Por serem naturalmente desprovidos de força bruta, os Goblins tendem a viver em bandos e grupos, como ratos, pois quando se sentem ameaçados atacam em conjunto, pois só assim podem causar grandes danos ao ameaçador.

Além de tudo, não são seres muito inteligentes, mas possuem seu próprio idioma, conhecido simplesmente por Língua ou Idioma Goblin. A maioria das pessoas com um mínimo de inteligência ou aptidão para aprender outras línguas conseguem aprender o idioma Goblin em poucas semanas. Seus clãs ou grupos, geralmente, são comandados por um Rei Goblin que de modo geral é identificado pelas roupas mais “sofisticadas” que o restante do grupo, por possuírem montarias, em geral algum animal de médio porte, como lobos, javalis ou cães selvagens. Tais Reis Goblins, costumeiramente são escolhidos por serem maiores e mais fortes. Quando estes líderes Goblins não são caracterizados pela força extra, normalmente apresentam alguma característica peculiar, como habilidades mágicas, sendo líderes xamânicos ou anciões sábios. É muito comum encontrarmos também seres de outras raças liderando-os, com destaque aos Orcs.


Em muitos casos, os goblins são escravizados por raças mais poderosas, como os Orcs, embora não detenham grande capacidade para trabalhar e não sejam exímios artesãos, são ótimos em tarefas que exijam discrição, como reconhecimento de terrenos, roubos e furtos, espionagem e assassinatos à noite.

É muito comum que as pessoas tenham uma visão negativa desses pequenos seres, tratando-os como malignos e repugnantes. Contudo, sabe-se que os Goblins não são necessariamente maus, e pelo contrário, são até mesmo “dóceis” quando não provocados. O maior problema, talvez seja o preconceito que as outras raças adquiriram historicamente e quando veem um grupo de Goblins já se preparam para a briga. Na verdade, os Goblins têm uma tendência à subordinação, pois se veem como seres inferiores às demais criaturas, atendendo a qualquer tipo de trabalho sujo por algumas poucas moedas. Desta forma, é comum encontrar Goblins envolvidos com crimes de furto e assassinato, especialmente, quando estão a trabalhar para Orcs ou Trolls. Outros goblins preferem viver entre as raças grandes, especialmente, em cidades humanas, trabalhando como empregados ou em atividades ilegais como contrabando de mercadorias, venda e compra de objetos roubados e emprestando dinheiro a juros altíssimos.

Algumas sociedades, no entanto, aceitam-nos muito bem, deixando com que vivam entre os demais indivíduos em completa harmonia. Não seria surpresa alguma encontrarmos goblins vivendo em minas onde anões trabalham, embora esses mineradores barbudos não gostem de criaturas de outras raças e vivam a travar combates com os goblins. Mas essa não é uma “regra” válida só para os anões, quase ninguém confia nos goblins, nem mesmo outros clãs de goblins são amistosos entre si.


2 - Sociedade:
Conforme supracitado, os goblins são seres tribais e dificilmente vivem fora de grupos ou clãs. Na grande maioria dos clãs existe um líder ou chefe, que é escolhido por obter alguma característica a mais, como força, inteligência, poderes mágicos, etc. Não possuem qualquer conceito de privacidade ou propriedade privada. Desta maneira, compartilham a mesma área de habitação, dormem juntos e dividem a comida. Somente o líder possui os privilégios de dormir e comer separadamente.

Existem goblins retiram seu sustento de atividades ilegais como roubo e saques. Suas vítimas geralmente são pessoas que não podem se defender ou que estão em condições limitantes, como velhos, enfermos e crianças. Invadem vilas e lares saqueando tudo que podem e, quando possível, capturam prisioneiros para venderem como escravos ou para trabalharem em suas plantações ou qualquer atividade bruta da tribo. Vivem a atacar viajantes e mercadores que cruzam estradas próximas a florestas e cavernas. Contudo, existem também algumas exceções, isto é, goblins que prefiram viver do próprio trabalho, mesmo que isso seja incomum. Dentre as atividades praticadas por esses goblins “de bem”, estão a pesca e a caça, além do extrativismo. Alguns também sobrevivem da agriculta, ainda que sejam raros os casos.

Essas criaturas por serem numerosas, vivem em qualquer lugar que possa conferir sobrevivência ao grupo, desde cavernas até ruínas de cidades antigas. Suas habitações são caracterizadas pelo mau cheiro e sujeira, haja vista a falta de higiene típica dos goblins. É comum encontrar acampamentos de goblins próximos a cidades ou regiões civilizadas, de modo a facilitar seus saques em busca de comida, animais produtores (em especial vacas, cabras e galinhas), armas e dinheiro. Quando são descobertos ou acabam com os suprimentos de uma determinada região, arrumam suas coisas, embrulhando os suprimentos e simplesmente mudam o local de acampamento.

Os goblins têm uma tendência natural a fazer alianças ou domesticar Wargs, que em troca de comida os carregam em suas costas durantes as viagens e batalhas.


3 - Religião:
Goblins raramente realizam cerimônias religiosas e são basicamente seres despreocupados com atividades relacionadas à religião. Na maioria das vezes, estão mais ligados à magia ou ao xamã da tribo do que aos seus deuses. O xamã goblin é o indivíduo responsável pela “adoração” dos deuses, enquanto o restante da sociedade está mais voltada para as atividades que garantam a sobrevivência do grupo.

Segundo o livro D&D a principal divindade dos goblins é Maglubiyet, “que encoraja seus seguidores a expandir sua quantidade de forma a superar seus oponentes”.

4 - Conclusão:
Como vimos ao longo do texto, os goblins apresentam características que os levam a uma visão negativa, além de sua aparência nada agradável aos olhos humanos e das demais raças civilizadas. Além do mais, eles exercem atividades ilegais, o que aumenta ainda mais sua má fama. Mas como abordamos no início do texto não são criaturas más por natureza, e sim vítimas de uma exclusão que existe desde os primórdios de sua espécie. Desta forma, apesar de parecer contraditório, os goblins são criaturas que exercem atividades ilegais por serem excluídos daquelas consideradas legais e não terem grandes oportunidades, sendo esta uma das poucas formas de garantirem sua sobrevivência.

Para finalizar, abaixo temos uma música da banda SpellBlast, chamada “Goblin’s Song”!


Hey lai la hey, lai la hey, lai la eh...

Well-hidden in this woods,
There's a place I've been
Behind those oaks
A powerful secret lies
Magical is the atmosphere
Enveloping every thing
The path leads to a clearing,
Forgotten by the time

Hey lai la hey, lai la hey, lai la eh...

Now we are in the place
I've dreamt many times
All is exactly
As it was supposed to be
Strange creatures are taking part
In a primordial rite
Nothing can stop us,
The Children of the Night

Take a chance
To join this dance
All that "is" will be revealed
Release your mind
And goblins, goblins all around!
Can't you see?
Everything is more clear
To me and to you
But don't forget
(We've) goblins, goblins all around

And we dance
In this endless carousel
Can't you feel the mystic
Power rising from the ground?
No more bad thoughts
We can leave the world behind
Just keep in mind
(We've) goblins, goblins all around
Goblins all around!

Our most amazing dreams
Are living through this place
We dance into the fire,
Leaving our world behind...

We've touched the power,
A vision of forbidden
These funny creatures
Are (our) blood brothers,
Leaving the foolish
Far from us... far from us!!
Take a chance…

Autor: Áviner Reis, Taberna Do Fauno
Colaboração: Will Gac, Dados Caóticos

Referências:
Livro Mighty Blade II - Monstrum Codex
Livro Dungeons & Dragons - Manual

6 comentários:

  1. Muito bom. Eu jogo World of Warcraft e classes e racial goblin fazem sentido agora para mim.

    ResponderExcluir
  2. gostaria de ver sobre os mortos vivos.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. AMO ❤, e me apaixonei vendo só o 1°e 2°ep xD

      ~pq o resto dos eps no dramafever tá para os Premium, e eu sou pobre então né :') o negócio è esperar

      Excluir